31 3213-0374 / 8766-5665 / 8955-5665

Bem-estar!

Valorize o que você tem de melhor!
Home > Cirurgia Plástica > Mentoplastia (Cirurgia do queixo)

Mentoplastia (Cirurgia do queixo)

Mentoplastia (Cirurgia do queixo)

A mentoplastia ou cirurgia do queixo mais comum é aquela que visa corrigir o retroposicionamento do queixo, e isso se faz através da inclusão de uma peça de silicone, geralmente pré-moldada.

O queixo (mento), assim como o nariz, é parte fundamental à formação do perfil da face, à estética do rosto. Não é raro que apresentem alterações de posicionamento, como o avanço ou a retração, e nessa última forma dá a impressão de se ter um nariz muito maior do que realmente é. As cirurgias que visam alterar o perfil da face, atuando no nariz e no mento, são conhecidas como perfiloplastias.

Existem casos de retração completa da mandíbula que não podem ser corrigidos por esse procedimento e necessitam cirurgias mais complexas com remodelações e avanços ósseos.

Informações Adicionais da Mentoplastia

IMPORTANTE: Resultados definitivos somente devem ser considerados após 12 meses da cirurgia. As cirurgias de retoques, quando necessárias, serão aconselhadas pelo cirurgião, devendo-se respeitar o tempo necessário para a adequação dos tecidos e acomodação das cicatrizes. Quando realizadas em momento inoportuno, as cirurgias podem não alcançar os resultados desejados. Os retoques não significam incapacidade técnica, mas uma revisão cirúrgica para se alcançarem resultados ainda melhores. Os custos desses possíveis retoques serão cobrados somente em relação às despesas hospitalares e de anestesista. Não serão cobrados honorários da equipe cirúrgica, desde que esses retoques sejam realizados no período sugerido pelo cirurgião.

Para fins de honorários, será considerado retoque todo procedimento indicado pelo seu cirurgião seguinte à primeira cirurgia, até um período subsequente de 12 meses. Após esse período, qualquer intervenção cirúrgica será considerada como um novo procedimento, independentemente do primeiro, mesmo que realizada nas mesmas áreas. São possíveis as retiradas das próteses por inadaptação pessoal ou rejeição, próprias de cada cliente, e quando essas estiverem causando dores. Caso essa retirada seja indicada, o procedimento é simples e, em geral, realizado sob anestesia local, pura.

O código de normas e condutas do cirurgião plástico da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica proíbe a exibição de fotos de pré e pós-operatório, mesmo que haja autorização do paciente. Proíbe, ainda, o uso de fotos de partes do corpo. A divulgação de preços e condições de pagamento em meios de comunicação, como jornal e TV, também é vedada.

Intercorrências da Mentoplastia

As intercorrências são situações que surgem no período pós-operatório e não interferem no resultado. São exemplos: equimoses (manchas roxas na pele), edema (inchaço), pequenos hematomas que podem drenar espontaneamente ou necessitar drenagem cirúrgica, deiscência de pontos (abertura do corte) etc. Outras intercorrências indesejáveis e mais complexas, que, felizmente, são raras: infecção, grande deiscência de pontos, extrusão da prótese e as intercorrências pertinentes a qualquer procedimento cirúrgico. Nessas eventualidades, é fundamental manter a calma e conversar extensamente com o médico, que cuidará atentamente do caso. O paciente não deve transmitir a existência dessas intercorrências a seus amigos e familiares. Eles poderão deixá-lo inseguro, nada podendo fazer efetivamente para ajudá-lo . Esse procedimento gera angústia, dúvidas e insegurança. Continuar confiando no médico ainda é o melhor caminho e ele saberá como ajudar.

A Cirurgia do Queixo

O procedimento é realizado sob anestesia local e sedação e pode ser associado a outras cirurgias, como a rinoplastia ou ao “face-lifting”. A duração da cirurgia para o aumento do contorno do queixo é de cerca de 30 minutos, quando realizado isoladamente. A cirurgia é feita de forma ambulatorial, ou seja, com alta prevista para o mesmo dia. Essa cirurgia consiste na incisão debaixo do queixo e dissecção de um espaço justo ósseo para encaixar a prótese, que é fixada aí antes de se dar os pontos de fechamento dos tecidos. Existem também técnicas de implante dessas próteses por via intraoral. A pequena cicatriz deixada pela cirurgia é quase imperceptível e localiza-se logo abaixo do queixo. O cirurgião irá esclarecer todas essas possibilidades ao paciente na consulta pré-operatória.

O silicone sólido vem sendo usado há vários anos no mercado da cirurgia, sem que se tenha detectado a relação de doenças cancerígenas a ele associadas. Podem ocorrer casos de extrusão da peça de silicone (raros) devido a vários fatores, como infecção, traumatismo sobre a área operada, hemorragia etc. Nesses casos, retira-se a peça mediante simples cirurgia, com anestesia local, sendo que, posteriormente (não menos que 6 meses), poderá ser introduzida uma nova peça.

Pré-operatório da Mentoplastia

Após conversar com o médico e esclarecer todas as dúvidas, ele indicará ao paciente alguns exames de rotina, que se recomenda que sejam feitos cerca de 10 dias antes da cirurgia. Também uma avaliação clínico-cardiológica (risco cirúrgico) será recomendada. Em determinados casos, podem-se solicitar outros exames específicos para ajudar no esclarecimento do diagnóstico. É necessário informar ao cirurgião plástico quanto à intercorrência de algum dente, principalmente da arcada inferior, infeccionado ou inflamado. Caso ocorra essa eventualidade, o paciente deve solicitar ao dentista que faça o tratamento necessário antes mesmo de procurar o médico para a cirurgia de mentoplastia de aumento.

Recomendações gerais para as cirurgias devem ser lembradas, como: não usar, nas duas semanas anteriores, medicamentos à base de Ácido Acetilsalicílico (AAS), anticoagulantes, corticoides de uso prolongado ou medicamentos para emagrecer, abster-se de fumo por 30 dias antes da operação, não usar cremes faciais e corporais a partir da véspera da cirurgia, jejuar de acordo com a recomendação médica (10 horas antes da cirurgia), comunicar ao médico qualquer anormalidade ou uso recente de medicamentos, alergias medicamentosas ou alimentares e alguma outra recomendação que venha a ser pertinente, guardar em casa objetos pessoais, como joias e bijuterias. No dia da cirurgia, acordar em jejum, tomar banho completo e chegar ao hospital 1 hora antes da cirurgia, com acompanhante.

Pós-operatório de Mentoplastia

O paciente sai da cirurgia com um curativo local cuja finalidade é manter a prótese imobilizada, além de servir de proteção a traumatismos eventuais.

Não é comum ocorrer dor intensa no pós-operatório e, caso se apresente algum incômodo, esse poderá ser debelado com o uso de analgésicos comuns.

O edema (inchaço) pode ser de maior ou menor intensidade, dependendo de cada caso, sendo mais intenso nos 3 primeiros dias da cirurgia e podendo ser acompanhado de equimoses (manchas roxas na pele).

O paciente receberá alta hospitalar tendo todas as recomendações necessárias a uma boa recuperação:

  • Recomenda-se que, para controle desse edema, o paciente evite conversar demasiadamente ou comer alimentos mais duros nos sete primeiros dias da cirurgia.
  • Repousar de atividades físicas e limitar os movimentos bruscos e amplos.
  • Deitar com o tronco elevado por almofadas e travesseiros. Não deitar de lado ou de bruços até que seja autorizado pelo cirurgião.
  • Tomar banhos, molhando a cabeça, somente com a autorização da equipe cirúrgica, (geralmente no 1º dia de pós-operatório).
  • Não trocar ou manipular os curativos, mesmo que haja um pequeno sangramento (o que é normal e não deve causar sustos). Todas as trocas de curativos deverão ser feitas pela equipe cirúrgica ou orientadas por ela.

OBSERVAÇÃO: Sangramentos copiosos ou variações volumétricas exageradas e de acontecimento súbito, acompanhados de dor, devem ser imediatamente comunicados ao médico. Pode tratar-se de um hematoma e deve ser avaliado prontamente.

  • Os retornos para a retirada de pontos e avaliação pós-operatória são feitos após oito dias da cirurgia. Retornos adicionais serão comunicados pelo cirurgião e devem ser seguidos para uma completa recuperação e avaliação dos resultados.
  • Após um mês, poderão ser retomadas as atividades físicas habituais, como ginástica e natação.
  • A exposição ao sol com o intuito de bronzear somente será permitida após 30 dias. Até então, pequenas caminhadas sob o sol poderão ser feitas, com o uso de bloqueadores solares.
  • O paciente jamais deverá fazer compressas quentes na área operada para melhorar o inchaço. A pele ainda estará sensível e poderá ocorrer queimadura de 3º grau.

No período pós-operatório imediato, o paciente permanecerá sonolento. A dieta poderá ser iniciada algumas horas depois da cirurgia, dependendo de cada caso. Isso será orientado pelo cirurgião e sua equipe. A cabeça ficará um pouco elevada, não podendo o paciente deitar-se de lado para não distorcer o edema.

A partir da operação, o organismo reage com inchaço e manchas roxas na pele que podem variar de uma forma discreta a reações mais intensas, as quais podem aumentar nos três primeiros dias e, então, iniciar o processo de regressão.

Não recomendamos o uso de cremes hidratantes até a retirada total dos pontos, sendo que os esfoliantes e despigmentantes somente serão permitidos após avaliação do cirurgião. Nesse período, somente é permitido lavar o rosto de forma suave com sabonete neutro e cremoso. Os cabelos poderão ser lavados cuidadosamente após o 1º dia da cirurgia, não se usando secadores quentes ou mornos (eles poderão danificar a pele e até queimá-la). A maquiagem poderá ser usada após cerca de três dias e a exposição ao sol será restrita no 1º mês da cirurgia.

Deve-se lembrar de que nenhum resultado cirúrgico deve ser avaliado antes dos três meses da intervenção, considerando-se a redução do inchaço. O organismo humano trabalha de forma ordenada e dentro de um tempo certo. Temos que controlar nossa ansiedade e aguardar a evolução natural, pois aqui não se pode interferir para mudar o curso do processo cicatricial.


DR. FREDERICO VASCONCELOS // CIRURGIÃO PLÁSTICO
  • Formado em Medicina pela Faculdade de Ciencias Médicas de Minas Gerais - FCMMG - BH/MG.
  • Especialização em Cirurgia Geral pelo Hospital Biocor - Nova Lima Grande BH/MG.
  • Especialização em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José / Feluma-FCMMG - BH/MG.
  • Membro do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.
  • Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
  • Membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia.
  • Membro do Conselho Regional de Medicina de MG.
  • Membro do Conselho Regional do ES.
  • Membro do Corpo Clínico de Cirurgia Plástica do Hospital Materdei.
  • Membro da Equipe de Cirurgia Plastica do Hospital Villa da Serra.
cirurgia plástica cirurgia plastica